segunda-feira, 29 de agosto de 2016

O Poder do Toque



Nascemos para ser tocados.

Precisamos que nos toquem. Dependemos disso para viver em paz. E somos infinitamente mais felizes quando recebemos de cada relação afetiva a quantidade certa de abraços, beijos e outros gestos de afeto. Disso quase toda a gente sabe. Mas até que ponto estamos conscientes do PODER do toque? Será que valorizamos na medida certa os gestos de afeto?

Instintivamente, (quase) todos os pais e mães que conheço tocam com frequência e com carinho nos seus bebés. Dão-lhes colo, fazem festas e enchem-nos de beijinhos. Há uma hormona que dá uma ajudinha neste processo de ligação - a oxitocina. E ainda bem que assim é. Afinal, o toque é o primeiro sentido a ser desenvolvido e é a forma de mostrarmos aos nossos bebés que gostamos deles. Sabia, por exemplo, que as crianças que recebem poucos gestos de afeto sofrem um forte impacto ao nível do seu desenvolvimento? É verdade! Precisamos - literalmente - que nos toquem para que possamos desenvolver-nos – física e emocionalmente- de forma saudável.
E na idade adulta? Que poder têm estes gestos? Serão igualmente poderosos? Sem dúvida! As investigações feitas nesta área mostram, por exemplo, que o toque tem um poder terapêutico e que é muito mais provável que encaremos alguns tratamentos mais invasivos como menos dolorosos quando há alguém de quem gostamos a segurar a nossa mão. Isso é visível nos tratamentos oncológicos, por exemplo. Não é magia. É amor!
Mas há mais. Há muito mais. Se estivermos descontrolados, há uma probabilidade muito maior de sermos capazes de controlar a nossa fúria ou a nossa ansiedade se houver alguém de quem gostamos a tocar-nos. Às vezes basta passar a mão pelo rosto ou pelo braço da outra pessoa para observar mudanças que não ocorreriam com a toma de um calmante.
É através do toque - mais do que através de palavras - que dizemos "gosto de ti". É através do toque que nos ligamos, que criamos laços afetivos. É por isso que nenhuma relação amorosa está realmente segura se não houver miminhos com regularidade. Sabia que os casais que raramente se tocam estão muito mais vulneráveis ao divórcio? Ou que as pessoas que recebem abraços, massagens nas costas e beijos na boca com frequência têm menor probabilidade de sofrer de hipertensão arterial?
O toque é poderoso desde o dia em que nascemos até ao dia em que morremos. Sabia que os idosos se sentem muitas vezes indesejados ou “a mais” simplesmente porque já não há quem lhes dê estes mimos? Ou que a mortalidade é muito maior entre aqueles que não são abraçados com frequência?
Nós não permitimos que qualquer pessoa nos toque. Não andamos por aí a distribuir abraços. Mas talvez devamos parar para pensar se temos distribuído bem os nossos gestos de afeto. Afinal, todas as pessoas de quem gostamos merecem sentir os efeitos positivos do nosso toque.


Ou não?

A Terapêutica Tântrica e seus e seus benefícios para o casal

Vivemos em um tempo de muitos estímulos, obrigações e da valorização da racionalidade. Social, pessoal e profissionalmente sofremos muitas cobranças e exigências para altas performances para quase todos os setores da vida.
Relacionamentos, de uma forma geral, envolvem observação, cuidado, paciência e quase sempre são baseados em emoções e afeto.
Sentir o que é verdadeiramente importante emocionalmente pra o outro faz toda a diferença na qualidade e na permanência das relações amorosas.
Atualmente vários casais possuem dificuldades, limitações e condicionamentos que não lhes permitem alcançar o prazer, a intimidade e o orgasmo em sua plenitude.
Na terapia tântrica “fazemos as pazes”, perdoamos, nos livramos da culpa e da vergonha e nos entregamos as sensações do corpo. O casal desenvolve e elabora a percepção do prazer de estar em contato com outro, com seu corpo e com a expansão da potencialidade energética que isto proporciona a ambos.
Medos e inseguranças, timidez excessiva, vergonha, culpa, recriminação ou rotina, podem comprometer um relacionamento. Some-se a isso o desconhecimento do corpo, da sua fisiologia e de suas reações. Às vezes ambos, sofrem de disfunções sexuais como anorgasmia (falta de orgasmos), problemas com a libido, baixa auto-estima, ejaculação precoce, impotência, vaginismo ou dores sexuais (dispareunia). Estas dificuldades atrapalham ou impedem um relacionamento amoroso e sexual harmonioso.
Os tratamentos convencionais são limitados, muito lentos e quase sempre de difícil superação. Muitos desses problemas afetam a confiança, comprometendo a entrega ao prazer e ao orgasmo, que afeta a qualidade de vida diretamente.
Através da Terapêutica Tântrica é trabalhada a arte do toque e o uso dos sentidos como instrumento para alcançar maior percepção e sensibilidade, estreitando assim os vínculos de companheirismo, de amor, e de amizade no relacionamento. Desenvolve também sua capacidade sensorial e orgástica, através da continuidades das sessões, pela tonificação dos músculos sexuais, e expande a capacidade de experimentar e sustentar níveis mais elevados de prazer.
Entre os objetivos da terapia tântrica estão:
Trazer maior consciência corporal.
Conhecer aspectos da anatomia, a sua e a do(a) parceiro(a).
Despertar regiões sensoriais adormecidas.
Conectar a voz, a expressão, a comunicação e a respiração consciente às sensações que experimenta.
Reconhecer e controlar os estados de excitação, a fim de ajustar-se às experiências ou ao ritmo do(a) parceiro(a).
Sensibilizar diversos grupamentos musculares em sincronicidade, amplificando a rede de músculos relacionadas com o orgasmo.
Potencializar o condicionamento dos músculos ejaculadores, dos músculos intra-vaginais e clitorianos, preparando-os para maior volume de orgasmos e orgasmos múltiplos para homens e mulheres.
Reconhecer os diversos pontos de prazer, através dos sentidos.
Aumentar a intimidade, a entrega e a confiança, resgatando a relação.

Recomendamos aos casais que desejam um desenvolvimento efetivo pleno, que participem e agendem uma sessão conjunta de massagem, e que também passem pelo processo de desenvolvimento sensorial.
Somos um casal de terapeutas, qualificados e especialmente treinados para oferecer as orientações pessoais a respeito de seu desenvolvimento e acompanhar a evolução do trabalho.
Possuímos o conhecimento adequado do corpo e de sua fisiologia energética, o que permitirá alcançar maior plenitude nas relações, além de ajudar na cura das disfunções sexuais, bloqueios e traumas masculinos e femininos.

Os atendimentos e as vivências podem ser individuais ou nos workshops de Tantra. Os atendimentos individuais são privativos.
Depois de uma entrevista inicial siga a sequência proposta pelo profissional de sua escolha, não pule etapas, pois elas têm como objetivo preparar o corpo para resultados melhores.
Para os casais que buscam um desenvolvimento social, afetivo e emocional através do Tantra, nossa sugestão é que participem também dos Workshops e meditações ativas.
Não há mestres no Tantra, há pessoas que já percorreram o caminho, que já o conhecem e podem ajudar a guiá-los até o ponto em que se encontram, que já se desenvolveram.
É preciso, em primeiro lugar, conhecer o princípio masculino e feminino que modela grande parte dos comportamentos no dia-a-dia. Quando a pessoa reprime sua sexualidade, o resultado é um desequilíbrio enorme no seu comportamento, na sua vitalidade e nas suas emoções.
O Tantra é o conhecimento mais profundo que existe sobre a energia sexual, a energia vital. Seu uso correto é responsável pela beleza, juventude e atração entre os sexos. Somente o Tantra, através dos milênios, tem se atrevido a ensinar isso com a simplicidade, com a pureza e com a profundidade que os ensinamentos precisam ser passados.
Ouse melhorar a qualidade das suas relações! 
Cláudia Guilherme – Siari Prem
Carioca, Orientadora sexual, Terapeuta Holística (Tantra, Reiki, Aroma, Astrologia para a sexualidade), Produtora Cultural e Consultora Empresarial, 

Palestrante especialista na abordagem de assuntos como autoestima, sexualidade, aspectos culturais e comportamentais nos relacionamentos amorosos. 
Ministra diversos cursos na área de sensualidade por todo o Brasil. 

quinta-feira, 3 de maio de 2012

Três erros sexuais frequentes na cama

Na cama pode tudo mesmo? Não existem regrinhas eternas para regulamentar o sexo entre quatro paredes. Mas há, sim, pequenas atitudes que podem acabar com uma noite que poderia ter sido incrível. Veja três situações que podem esfriar a noite com seu parceiro.
ATENÇÃO: ESTE CONTEÚDO É IMPRÓPRIO PARA MENORES DE 18 ANOS.
A transa não acaba depois que ele tiver ejaculado
Muitas vezes é assim que acontece: um amante egoísta vai virar para o lado, dizer um "foi uma delícia" e deixar você vendo navios. "Embora seja verdade que o pênis do homem fica mesmo fora do combate temporariamente, as mãos e a boca do rapaz continuam tão prontas para a ação quanto sempre estiveram. Então, o que a impede você de dizer ao seu parceiro "ei, mas não acabou ainda", e pedir que o cara a acaricie com as mãos?", explica a psicóloga e sexóloga Carla Cecarello.
Ocupado nesse meio tempo com carícias em você, logo que ele tiver recuperado o fôlego vocês podem emendar uma sessão de sexo oral (caso o rapaz não curta a ideia de cair de boca em você logo depois de ter estado com o pênis no mesmo local, tenha sempre por perto um pacote de lenços umedecidos perto da cama ou dê uma passada no banheiro para se lavar). E se ele apagar involuntariamente depois do orgasmo? "Procure explicar que, nesse caso, você precisa ter o seu garantido antes de o moço chegar ao dele", ressalta a sexóloga. Camaradagem no sexo é fundamental.
Nada de cara feia para o "novo" na cama
Não se assuste ou crie resistências se, um dia, seu parceiro sugerir novidades para o cardápio sexual de vocês. A maior parte dos casais faz na cama o equivalente a almoçar o arroz com feijão todos os dias, dia após dia, ano após ano, repetindo exatamente o mesmo roteiro a cada relação sexual. "Desejar uma mudança é uma coisa natural e você não tem porque se sentir ameaçada", reforça Carla.
Os homens, assim como qualquer mulher sexualmente saudável, gostam de ver, testar e vivenciar novidades no terreno sexual. E isso, acredite mulher, não é motivo para desespero ou alarme. Ele não enjoou de você e nem deve ter aprendido coisas com outras mulheres. Não existe nada com o que se preocupar. Trata-se de uma necessidade humana variar a rotina.
Mostre o roteiro do seu corpo a ele
O homem ainda é um homem das cavernas na cama. Quando engata no sexo, qualquer língua torna-se desconhecida para ele. Que tal dizer a ele um roteiro para o seu corpo e para o prazer? "Se você não mostrar ou disser ao parceiro como ele deve tocar o seu corpo, os momentos certos, onde, qual a intensidade e o ritmo desejados, é melhor os dois desistirem logo de fazer qualquer progresso quanto ao entendimento sexual do casal", explica a sexóloga. Abrir a boca para falar o que você deseja garante uma vida sexual prazerosa aos dois.
Então, nada ficar envergonhada ao dizer essas coisas em voz alta. É penoso abrir a boca e soltar um gemidinho para deixar que ele saiba que você está gostando de uma carícia em especial? Não é, então, a mesma coisa na hora de dizer o que você deseje dela. Dê a ele orientações simples do tipo: "Mais suave, mais devagar, aí mesmo". O ideal é começar gradativamente e sem pressa. Assim, com essa comunicação vindo de você, o prazer a dois será garantido!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

NeoSexo: Orgasmo Feminino pode ajudar a engravidar

NeoSexo: Orgasmo Feminino pode ajudar a engravidar: O orgasmo feminino, além de proporcionar o prazer e a experiência de puro êxtase, também pode ajudar a mulher a engravidar. No campo de pes...

domingo, 4 de setembro de 2011

40 ERROS QUE OS HOMENS COMETEM NA HORA H

40 ERROS QUE OS HOMENS COMETEM NA HORA H

NÃO BEIJAR.
Evitar os lábios e ir direto às zonas erógenas faz com que ela se sinta como se você estivesse pagando por hora e tentasse fazer o dinheiro valer cortando partes não essenciais. Um beijo apaixonado conveniente é a forma de preliminar definitiva.

NÃO GOZAR NUM TEMPO RAZOÁVEL.
Você pode achar que transar por 2 horas sem chegar ao clímax é a marca de um deus do sexo, mas pra ela isso significa uma vagina ardida e dolorida no dia seguinte. Se você insiste no papel babaca de Homem-Maratona, use um bom lubrificante à base de água e deixe a TV ligada na novela, para que ela possa se distrair durante a sua "performance".

NÃO FAZER A BARBA.
Freqüentemente você se esquece de que tem um porco-espinho atado ao seu queixo, o qual você arrasta repetidamente através do rosto e das coxas da sua parceira. Quando ela vira a cabeça de um lado para o outro, isso não é paixão, ela está tentando se esquivar.

ESPREMER OS SEIOS DELA.
Quando botam as mãos neles, a maioria dos homens age como uma dona-de-casa experimentando um melão para ver se ele está maduro. Afague-os, acaricie-os e alise-os.

ABOCANHAR OS MAMILOS.
Por que os homens se grudam nos mamilos de uma mulher e depois os tratam como se quisessem esvaziar o corpo dela pelos seios? Mamilos são extremamente sensíveis. Eles não resistem a mastigação. Lamba e sugue gentilmente. Dar-lhes pancadinhas com a língua de um lado ao outro é legal. Fazer de conta que eles são um brinquedo de cachorro não é.

TORCER OS MAMILOS DELA.
Pare de fazer aquela coisa de girar os mamilos entre o indicador e o polegar como se estivesse tentando sintonizar uma rádio numa área montanhosa. Concentre-se nos seios como um todo, não só nos pontos de exclamação.

IGNORAR AS OUTRAS PARTES DO CORPO DELA.
Uma mulher não é uma via expressa com somente três saídas: Peito Leste e Oeste, e o Túnel do Meio. Existem vastas áreas do corpo dela as quais você freqüentemente ignora quando passa direto para Vagina Central. É hora de começar a lhes dar atenção.

ENROLAR AS MÃOS.
Falta de destreza manual na região sub-saia pode resultar em dedos e roupas de baixo torcidas. Se você fôr tão direto assim, peça a ela que tire logo o troço todo.

DEIXAR-LHE UM PRESENTINHO.
Jogar a camisinha fora é responsabilidade do homem. Você usa, você descarta.

ATACAR O CLITÓRIS.
Pressão direta é muito desagradável, portanto gire gentilmente seus dedos pelas laterais do clitóris.

PARAR PRA RESPIRAR.
Diferentemente dos homens, mulheres não continuam de onde foram deixadas. Se você parar, elas voltam para a casa número 1 bem depressa. Se você perceber que ela ainda não chegou lá, continue custe o que custar, mandíbula dormente ou não.

DESPI-LA ESTUPIDAMENTE.
Mulheres destestam parecer estúpidas, mas é exatamente o que ela vai parecer ao ficar nua da cintura para baixo com um suéter enrolado na cabeça. Desembrulhe-a como um presente elegante, não como um brinquedo de criança.

ATOCHAR A CALCINHA DURANTE AS PRELIMINARES.
Acariciá-la gentilmente através da calcinha pode ser bem sexy. Atochar o tecido entre as coxas dela e ficar puxando pra frente e pra trás náo é.

SER OBCECADO PELA VAGINA.
Embora a maioria dos homens possa achar o clitóris sem mapas, eles ainda acreditam que é na vagina que acontece tudo. Tão logo sua mão esteja lá, você age como se estivesse tentando pegar a última batatinha num canudo de Pringle’s. Isso está correto em princípio, mas se você não for cuidadoso (e tiver cortado as unhas), pode machucar – portanto, não se empolgue. A princípio, é melhor dar atenção ao clitóris e ao exterior da vagina, e então inserir gentilmente um dedo e ver se ela gosta.

MASSAGEM GROSSEIRA.
Você tenta dar a ela uma massagem sensual, relaxante, para deixá-la no ponto. Pode usar as mãos e pontas dos dedos; cotovelos e joelhos, não.

TIRAR A ROUPA DEPRESSA DEMAIS.
Não force a barra tirando a roupa antes que ela tenha feito algum gesto para ver o seu material, mesmo que seja apenas desabotoar dois botões.

TIRAR AS CALÇAS PRIMEIRO.
Um homem de meias e cuecas é horrível. Tire as meias primeiro.

INDO DEPRESSA DEMAIS.
Quando você parte para a situação pênis-na-vagina, a pior coisa que pode fazer é bombear como se fosse uma ferramenta industrial – ela logo vai se sentir como uma operária de linha de montagem tornada obsoleta pela sua tecnologia. Aumente o ritmo vagarosamente, com arremetidas limpas, retas e regulares.

INDO COM FORÇA DEMAIS.
Se você bater seus grandes ossos dos quadris contra as coxas ou o estômago dela, a dor será igual a duas semanas de cavalgada concentradas em poucos segundos.

GOZAR DEPRESSA DEMAIS.
É o medo de todo homem. Com razão. Se você dispara antes de ver o branco dos olhos dela, certifique-se de que tem um plano “B” para assegurar o prazer dela.

DAR UM CHUPÃO NA ORELHA.
Seja franco: algum cara na escola lhe contou que as garotas adoram isso. Bom, há uma diferença entre ser erótico e chupar como se você estivesse tentando fazer respiração boca-a-boca num hipopótamo. Isso machuca.

PERGUNTAR SE ELA GOZOU.
Realmente, você deveria ser capaz de perceber. A maioria das mulheres faz barulho. Mas se você realmente não sabe, não pergunte.

FAZER SEXO ORAL COM GENTILEZA EXCESSIVA.
Não se comporte como um gato gigante num pires de leite. Coloque a boca inteira lá e concentre-se em rodar a língua gentilmente ou dar petelecos com ela no clitóris.

CUTUCAR A CABEÇA DELA.
Os homens insistem em fazer isso até que ela olhe-pro-pênis, esperando que isso levará rapidinho a boca-pro-pênis. Todas as mulheres odeiam isso. Está a três passos de ser arrastada pelo cabelo para uma caverna. Se você quer que ela use a boca, use a sua; experimente falar sedutoramente com ela.

NÃO AVISAR ANTES DE GOZAR.
Esperma tem gosto de água do mar misturada com clara de ovo. Nem todo mundo gosta. Quando ela estiver fazendo sexo oral, avise-a antes de gozar para que ela possa fazer o que achar necessário.

FICAR SE MEXENDO DURANTE O BOQUETE.
Não empurre. É ela quem vai fazer todos os movimentos durante o boquete. Você apenas repousa. E não agarre a cabeça dela.

IMITAR ATITUDE DE FILME PORNÔ.
Nos filmes pornô, as mulheres adoram quando os homens ejaculam sobre elas. Na vida real, isso significa apenas mais roupa para ser lavada.

DEIXÁ-LA POR CIMA POR ERAS.
Pedir para que ela fique por cima é ótimo. Ficar deitado grunhindo enquanto ela faz todo o trabalho duro não é. Acaricie-a gentilmente, para que ela não se sinta inteiramente como um capitão de escuna. E deixe que ela descanse.

TENTAR FAZER SEXO ANAL E FINGIR QUE FOI UM ACIDENTE.
Foi desse jeito que os homens ganharam a reputação de não seguir a bula. Se você quer botar lá, peça primeiro. E nem pense que estar bêbado é desculpa.

TIRAR FOTOS.
Quando um homem diz, “Posso tirar uma foto sua?”, ela vai ouvir as palavras “- pra mostrar pra galera”. Pelo menos, deixe que ela fique com a posse das fotos.

NÃO TER IMAGINAÇÃO SUFICIENTE.
Imaginação vai desde desenhar padrões nas costas dela até derramar mel sobre ela e lambê-lo. Frutas, vegetais, gelo e plumas são todos dispositivos úteis; cera quente e tinta indelével, de jeito nenhum.

ESTAPEAR O SEU ESTÔMAGO CONTRA O DELA.
Não há barulho menos erótico. É tão sexy quanto um concurso de arrotos.

COLOCÁ-LA EM POSES ESTÚPIDAS.
Se ela quer fazer yoga avançada na cama, excelente, mas a menos que ela seja uma ginasta romena, não seja ambicioso demais. Pergunte-se se quer uma parceira sexual com os tendões torcidos.

PROCURAR PELA PRÓSTATA DELA.
Leia isto cuidadosamente: Estimulação anal é boa para os homens porque eles têm próstata. As mulheres não têm.

DAR-LHE MORDIDAS DE AMOR.
É extremamente erótico exercer alguma sucção gentil nos lados do pescoço, se você fizer isso com cuidado. Nenhuma mulher quer ter que usar golas rolê e echarpes vistosas por semana a fio.

LADRAR INSTRUÇÕES.
Não dê gritos de incentivo como um treinador com um megafone. Não é lá muito excitante.

FALAR PUTARIAS.
Faz com que você pareça um editor de revista solitário ligando para o Disque-Sexo. Se ela gosta de escutar sacanagem, você vai ficar sabendo.

NÃO SE IMPORTAR SE ELA JÁ GOZOU.
Você tem de terminar o serviço. Continue tentando até que o tenha feito direito, e ela poderá fazer o mesmo por você.

ESMAGÁ-LA.
Homens geralmente pesam mais do que mulheres, portanto se você ficar em cima dela um tanto pesadamente demais, ela acabará ficando roxa.

AGRADECER.
Nunca agradeça a uma mulher por fazer sexo com você. Seu quarto não é casa de caridade.


sábado, 27 de agosto de 2011

Contos de Fadas para Mulheres do Século 21

1º Conto

Era uma vez uma linda moça que perguntou a um lindo rapaz: Você quer casar comigo?
Ele respondeu: Não!
E a moça viveu feliz para sempre, foi viajar, fez compras, conheceu muitos outros rapazes, visitou muitos lugares, foi morar na praia, comprou outro carro, mobiliou sua casa, sempre estava sorrindo e de bom humor, nunca lhe faltava nada, bebia cerveja com as amigas sempre que estava com vontade e ninguém mandava nela.
O rapaz ficou barrigudo, careca, o pinto caiu, a bunda murchou, ficou sozinho e pobre, pois não se constrói nada sem uma MULHER.


 
2º Conto

Era uma vez, numa terra muito distante, uma linda princesa independente e cheia de auto-estima que, enquanto contemplava a natureza e pensava em como o maravilhoso lago do seu castelo estava de acordo com as conformidades ecológicas, se deparou com uma rã.
Então, a rã pulou para o seu colo e disse: Linda princesa, eu já fui um príncipe muito bonito. Mas uma bruxa má lançou-me um encanto e eu transformei- me nesta rã asquerosa. Um beijo teu, no entanto, há de me transformar de novo num belo príncipe e poderemos casar e constituir um lar feliz no teu lindo castelo. A minha mãe poderia vir morar conosco e tu poderias preparar o meu jantar, lavarias as minhas roupas, criarias os nossos filhos e viveríamos felizes para sempre...
E então, naquela noite, enquanto saboreava pernas de rã à sautée, acompanhadas de um cremoso molho acebolado e de um finíssimo vinho branco, a princesa sorria e pensava: Nem fo...den...do!