terça-feira, 16 de agosto de 2011

A História da Masturbação – Parte 02



A natureza científica da série “A História da Masturbação” me obriga a discorrer sobre a etimologia dos codinomes vulgares do vocábulo “masturbação”. Para começarmos com o pé direito, ou melhor, com a mão direita, apresento a vulgarização da masturbação feminina sob o pseudônimo de “siririca”.
A masturbação feminina foi alvo de preconceitos muito maiores que a masturbação masculina. Por séculos se imaginou que a masturbação seria um pecado condenado sumariamente por Deus, tendo como castigo o empobrecimento.
Especialmente porque nas últimas décadas antes de Cristo, como narra o profeta Ezequiel, as mulheres faziam ‘consolos’ de ouro para deixarem sua vida sexual uma jóia.
Como podemos notar no seguinte relato bíblico:
“E tomaste as tuas jóias de enfeite, que eu te dei do meu ouro e da minha prata, e fizeste imagens de homens, e te prostituíste com elas”. Ez 16:17.
Este pré-conceito contra a masturbação feminina durou do século 10 a.C até junho de 2007 d.C, quando a mártir desta revolução digital recebeu o cachê de uma sessão de fotos para a revista Playboy. Estamos falando de Iris Stefanelli, a primeira siri rica do mundo.
Acompanhe este humilde historiador no Twitter: @FabioFlorez

Nenhum comentário:

Postar um comentário